28/08/2008

no torrent

Ainda não estreou, então esquentem seus torrents para daqui a pouco. A série britânica No heroics promete ser um bálsamo de humor inglês no supersisudo universo de super-heróis.

A trama: quatro amigos com superpoderes que são constantemente achincalhados pelo super-heróis mais famoso do planeta, o Excelsior. O problema desses super-heróis perdedores vai além das rusgas com Mary Jane: um é viciado em masturbar-se, o outro tem problemas com mulheres, mais uma é gorda e a outra é cleptomaníaca.

Prepare-se para uma lista deliciosa de superpoderes inúteis (como enxergar seis segundos no futuro) e para muitas referências ao universo dos quadrinhos (alguém lembrou de Superman quando eu falei em Excelsior?).

A série estréia em setembro
na Inglaterra. E no meu torrent também! Por enquanto, o trailer pra dar o gostinho.

a cova digital da globo

A Globo disse que não vai investir em multicanais na TV digital. Que colocar mais canais no ar aumenta custos e não atrai novos anunciantes. Que prefere usar o sinal digital para melhorar a qualidade de imagem. Mas o que parece apenas uma decisão empresarial focada na melhoria do serviço para o telespectador nada mais é do que uma estratégia para manter a influência arrasadora da Globo sobre a mente dos brasileiros. Teoria de Arquivo X? Vamos aos fatos.

As afirmações acima são do diretor de engenharia da emissora carioca, Fernando Bittencourt. Ele debateu o assunto no 5° Fórum Internacional de TV Digital, no painel “Grandes Redes no Ambiente Digital”. Segundo Bittencourt, o número de anunciantes não subirá com o número de canais. O sistema nipo-brasileiro permite que as emissoras tenham até quatro canais com qualidade de imagem normal ou apenas um canal com imagem digital. A Globo prefere imagem de alta definição à programação multicanal. Mas é claro que não é por causa do bem do telespectador.

Explico: nos últimos anos, a Globo vem sofrendo para manter sua audiência estratosférica. Com a chegada da banda larga, do DVD, do celular 3G e agora, da TV digital, o mundo todo sofreu o fenômeno de pulverização da audiência. Ou seja, programações mais fragmentadas e direcionadas a nichos de mercado. Foi esse fenômeno que possibilitou a chamada Era de Ouro da TV americana: séries com enredos intrincados, formatos diferenciados e tramas mais elaboradas que atraem facções do público. Mas facções fiéis, que acompanham as séries, compram produtos licenciados e migram suas audiências a outras mídias relacionadas. (Como o caso dos gibis de “Heroes” disponibilizados para download no site da série. Esses gibis tinham historietas com informações adicionais da trama veiculada na TV. Foram baixados por milhões gratuitamente traduzidos pelos fãs para diversos idiomas e mais tarde lançados como gibis convencionais.) Sucesso de audiência pelo mundo afora é aquele programa que alcança 20 pontos de audiência mesmo sendo uma superprodução. Pra efeito de comparação, uma novela das seis da Globo com 20 pontos de média é um fracasso.

O que a emissora carioca pretende ao rechaçar a multiprogramação é manter sua fatia gorda do bolo. Ou seja, investir somente em uma transmissão, em tese, pode manter a audiência como um cordeirinho diante do canal 11. Na prática, porém, essa realidade já foi testada e reprovada em diversos países do mundo. E aqui no Brasil não será diferente.

Novelas como “Mutantes”, por exemplo, provam isso. Não agrada a gregos e troianos, mas tem um público fiel que não deixa a peteca do Ibope da Record cair. A MTV também é um outro exemplo: um canal fragmentado, com programação dirigida ao público adolescente e uma verdadeira seita de seguidores que mantêm seus níveis de audiência sempre estáveis. Nunca é um arrombo de audiência, mas em compensação tem sempre a sua fatia do bolo garantida.

Os anunciantes, por sua vez, acompanham a fragmentação. Me permitam um exemplo técnico: se existisse um canal que atingisse diretamente mulheres na faixa dos 25 aos 35 anos, público-alvo prioritário dos produtos Dove, por que a Dove investiria milhões numa mídia nada fragmentada na Globo? Esse exemplo se transfere a todos os produtos do mercado. Preste atenção aos comerciais veiculados na MTV. São produtos que jamais freqüentam a programação de grandes emissoras. Mas estão ali, na MTV, pagando o salários dos VJs.

Essa postura de gigante da Rede Globo é um tiro no pé. Na ânsia de manter seu Ibope, a emissora acaba sendo a mesma sempre. Novelas previsíveis, telejornais pálidos, coberturas internacionais exatamente iguais. O aclamado Padrão Globo acaba tornando a grade da emissora uma coisa cinza, uma zona de conforto, um lugar sem grandes novidades. E a geração que está saindo da escola pro mercado de trabalho não quer mais isso.

Boni, ex-diretor de programação da emissora, chegou a afirmar no Maximidia de 2006, em São Paulo, que a interação entre TV e computador era inviável. Para ele, quando um programa de televisão diz pro telespectador acessar a internet para votar numa enquete, por exemplo, na verdade está perdendo audiência, porque aquelas pessoas irão pro computador e se dispersarão da TV. Na teoria, o raciocínio é perfeito. Mas na prática, é um retrocesso. Hoje em dia, muita gente vê TV, navega na internet e ouve música no iPod ao mesmo tempo. Ao investir na audiência de hoje e desprezar a audiência futura, a Globo cava sua própria cova.

Claro, isso é ótimo pra gente. Ter uma TV onipotente não é nada bom para o país. A opinião pública fica à mercê dos caprichos do diretor de jornalismo da emissora. A moda, os costumes, a evolução da sociedade: tudo isso acaba sendo tacitamente ditado pelas telenovelas globais. Os heróis que temos são os atletas erigidos ao posto de deuses pelos editores do Globo Esporte. E assim, o Brasil imerge na ignorância de sempre. A ignorância global.

Que a TV digital e a cabeça-dura dos executivos da Globo nos dêem uma esperança.

22/08/2008

no front

Assista

Into the wild. Filme de Sean Penn baseado no livro homônimo de Jon Krakauer. A história gira em torno de Christopher McCandless, um jovem americano que está saindo do colégio e decide, assim como quem não quer nada, largar tudo e ir bancar o eremita no Alaska. Com o desenvolvimento tocante e envolvimente, o filme mostra todos os questionamentos do protagonista sobre as relações sociais, a sociedade de consumo e a necessidade que sente de se livrar disso tudo. Você realmente entende por quê ele quer ir viver no Alaska. Dica: não leia mais nada sobre o filme, apenas assista e evite surpresas estragadas. O trailler tá ae embaixo.

Ouça
Yael Naim. Cantora filha de francês com israelense, essa menininha com cara de anjo chegou cheia de criatividade e delicadeza. Sua música mais famosa se chama “New soul” e ganhou o mundo como trilha sonora do comercial de lançamento do Mac Book Air. Abaixo, o clipe da supracitada.

Leia
Malvados, compilação das tirinhas de André Dahmer publicada pela Editora Desiderata. O volume traz pérolas das famosas florzinhas com crises existenciais. Sem se preocupar com o politicamente correto,. Dahmer dá show de criatividade em tiras mordazes, de humor certeiro e muita, muita, muita acidez. Preço: 36 mangos. Compre aqui. Abaixo, um aperitivo.


Anote
“Antes à tarde do que nunca” Anúncio de motel no Rio de Janeiro.

19/08/2008

mcm >>> #6

Desculpa inistir no tema, mas é que esse comercial realmente me fisgou no meio da tarde. Sem o virtuosismo visual da campanha da Sony Bravia, mas com um virtuosismo técnico de igual potência, segue o VT do Walkman Sony. Realmente de babar.



Pra quem não viu o filme da Sony Bravia, republico abaixo. Vale a pena ver pra perceber onde a criatividade entrou: adaptar uma idéia que é basicamente visual para um produto que é sonoro não é nada fácil.



No post original sobre essa campanha tem também o making off.

16/08/2008

liberdade ainda que tardia

Uma matéria no cantinho da página 7 da Tribuna do Norte de Hoje me deixou de orelha em pé. Segue texto na íntegra.

ANJ lamenta decisão da justiça contra site de jornal

Brasília (ABr) - A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou ontem uma nota de protesto contra a retirada do ar do site jornalístico “Novo Jornal”, de Minas Gerais, em meio a uma investigação do Ministério Público do Estado. Após o site publicar em editorial críticas ao procurador-geral da Justiça de Minas, Jarbas Oliveira, foi instaurado um inquérito para “apurar matérias atentatórias à honra de autoridades públicas”, de acordo com a assessoria do MPE.

Na quinta, com um mandado de busca e apreensão, foram confiscados o servidor do jornal e computadores, e o site foi retirado do ar. Quem tenta entrar em www.novojornal.com.br encontra apenas uma mensagem da Promotoria Estadual de Combate aos Crimes Cibernéticos informando que a a página foi suspensa por medida cautelar judicial.

A ANJ questionou que a censura ao site e a apreensão dos equipamentos tenham ocorrido em fase inicial de inquérito. “É uma forma inédita e preocupante de cerceamento da liberdade de imprensa”, disse a instituição em nota.

Tribuna do Norte http://www.tribunadonorte.com.br

********

Coincidência ou não, esse lamentável episódio ocorreu no Estado de Minas Gerais, governado por Aécio Neves, neto de Tancredo Neves e político ovacionado por seus dotes de gestor - mas acusado por diversos organismos mineiros de exercer uma censura descarada sobre os meios de comunicação do Estado.

Pra quem não ligou o nome à pessoa, Aécio Neves é o futuro presidente do Brasil. Pelo menos é o que o PSDB acredita piamente. O partido vem investindo na imagem de seu maior destaque nacional de olho nas eleições de 2010.

Aécio Neves: futuro presidente ou atual órgão censor?

Se você não ouviu nada a respeito dessas denúncias de censura em Minas Gerais, capitaneadas pelo séquito de Aécio Neves, assista abaixo o documentário que deflagrou a acusação, feito por um estudante de comunicação da UFMG.

Parte 1:


Parte 2:


Parte 3:


A repercussão desse documentário foi tão grande que ele ganhou até uma versão em inglês. Ah, sim, e apesar da base governista de Minas dizer que é tudo mentira, se deu ao trabalho de produzir diversos documentários desmentindo esse (todos devidamente postados no Youtube). Nenhum, obviamente, com a riqueza de depoimentos e fatos do original.

mcm >>> #5

A publicidade trabalha emoções brutas, sentimentos em estado puro, para dar valor agregado aos produtos. Essa lenga-lenga que estou dizendo pode se traduzir, por exemplo, em propagandas de cerveja que mostram homens idiotas (cerveja = bebedeira = marmanjos agindo como idiotas).

Claro, a fórmula não é tão simples, e é aí que entra o talento do publicitário: enxergar cenas do dia-a-dia que traduzam conceitos, prestar atenção em comportamentos humanos, essas coisas. O post de hoje tá um saco com essa teoria toda, mas garanto a você que o comercial que está abaixo é muito ducaralho.

A frase final é Novo Seat Panda. No seu ritmo. Pra não estragar nenhuma surpresa, paro por aqui. Porque sim: este é um daqueles comerciais com revelações no final. Enjoy!


14/08/2008

de luto

Apesar da falta de proximidade, foi triste saber que meu tio-avô falaceu. Trata-se do ovacionado Seu Cornélio, líder do grupo folclórico Araruna. Hoje pela manhã, meu irmão ligou contando a notícia.

Seu Cornélio era uma personalidade muito respeitada no Estado por haver resgatado parte de nossa cultura popular com seu grupo de dança, mais tarde rebatizado, por sugestão de Câmara Cascudo, de "Associação de Danças Antigas e Semi-desaparecidas Araruna".

Além disso, ele era a cara da minha avó, a também já falecida Soledade, que era sua irmã. Bem, o dia é de orações. Abaixo, a notícia extraída do blog de Thaísa Galvão.

***

Publicado às 20:32 Cultura
Morre "Seu Cornélio", o fundador do grupo Araruna

Ele escolheu justamente agosto, o mês do Folclore, para se despedir do mundo.

Cornélio Campina da Silva, o “Seu Cornélio”, líder do grupo folclórico Araruna, que faria 100 anos em outubro, morreu no final da tarde de hoje à tarde.

Seu Cornélio recebendo o Troféu Cultura das mãos de Danuza D'Salles

“Seu Cornélio” foi um dos idealizadores do Araruna, transformado em “Associação de Danças Antigas e Semi-desaparecidas Araruna”, por sugestão de Câmara Cascudo.

O corpo de “Seu Cornélio” está sendo velado na sede do Araruna, nas Rocas.

Ele sofria de insuficiência cardíaca e faleceu no final da tarde de hoje.

A última aparição pública de seu Cornélio foi no dia 25 de julho, quando foi homenageado na solenidade de entrega do Troféu Cultura, uma parceria do colunista Toinho Silveira com a Fundação José Augusto.

A solenidade foi no Teatro de Cultura Popular.

Extraído do blog de Thaísa Galvão.

13/08/2008

frango da passagem

O equivalente ao Frango da Passagem nas grandes cidades se chama KFC (ah, você não sabe o que é o Frango da passagem? Nem eu vou explicar). Enfim, essa franquia de frango frito está presente em quase todo o mundo e é um dos terrores dos que lutam contra a obesidade. Como publicitário não tem moral, tem prazo, a Ogilvy & Mather da Índia criou essa excelente série de anúncios para a franquia. A seqüência só se soluciona no último anúncio, bem no estilo "série de páginas duplas na Veja". Crasse A.

Sem título.

Sem título!

KFC. É bom lamber os dedos.

I love my job.

12/08/2008

na urna

O blog do Josias noticiou no dia 11 de agosto que uma empresa de marketing político entrou com um pedido de impugnação da candidatura de Fátima Bezerra em Natal. A razão são dívidas passadas do diretório municipal do PT com a empresa.

Segundo o blog, "A ACS3, contratada para produzir o marketing da campanha de Fátima Bezerra em 2004, levou um beiço do PT".

Se a Justiça Eleitoal entender que dívidas de campanhas passadas impedem candidatos de disputar novas eleições, talvez o pleito em Natal sofra uma grande reviravolta. Josias lembra que isso não é impossível: a Justiça Eleitoral do Amazonas indeferiu a candidatura de Amazonino Mendes (PTB) justamente por esse motivo. Ou seja, jurisprudência já há. Leia notícia na íntegra aqui.

chavez vs system of a down

Eu adoro mash-ups. Olha esse:



Dica: Luanda Holanda.

11/08/2008

no front

Assista
Blindness, novo filme de Fernando Meirelles. Ainda não estreou, mas vá se preparando. Adaptado do genial romance de José Saramago, “Ensaio sobre a cegueira”, o filme tem tudo pra ser a sensação do ano. O próprio Saramago, vencedor do prêmio Nobel, chancelou a obra com lágrimas nos olhos em sua primeira exibição. Olha o trailer aí embaixo.



Ouça
The soundtrack of our lives. Banda sueca com influência de The Who, The Doors e Pink Floyd. Nesses dias de chuva, não tem coisa melhor que viajar nas melodias deles.


Leia
“Sandman - Entes Queridos”, nona parte da premiada série de graphics novels de Neil Gaiman. Misturando mitologia, psicologia, intrigas e muita imaginação, o mestre dos quadrinhos eleva essa história ao patamar de obra prima na penúltima aventura do Rei dos Sonhos. A inventividade está elevada à máxima potência aqui. O preço é um pouco salgado: 98 mangos. Mas vale cada centavinho.

Baixe
A primeira temporada inteirinha da série Dexter. A sinopse: um serial killer ajuda a polícia a investigar serial killers. A surpresa: a série é amoralmente engraçada e deliciosamente inquietante. O veredicto: a tevê brasileira precisa de algumas idéias assim.

Acesse
Os sites dos cadidatos a prefeito de Natal. A campanha na internet já está bombando. Por ordem alfabética:
- Fátima Bezerra (PT): www.fatima13.can.br
- Joanilson de Paula (PSDC): www.joanilson27.can.br
- Micarla de Souza (PV): www.micarla43.can.br
- Miguel Mossoró (PTC): www.miguelmossoro36.can.br
- Vober Júnior (PPS): www.vober23.can.br
Infelizmente, nem todos estão na grande rede. Também em ordem alfabéticas, os candidatos que o Google não consegue encontrar: Dário Barbosa (PSTU), Pedro Quithé (PSL) e Sandro Pimentel (PSOL).

Note
Que essa campanha política está sendo atípica. Com quase 50% de indecisos, parece ser a campanha mais asséptica que já vi até hoje. Palmas ao TRE. As novas regras da propaganda eleitoral, que proíbem pirotecnias como os showmícios, por exemplo, parecem realmente ter equiparado os candidatos no quesito exposição. Na medida do possível, claro.

Anote
“Amigo de todo mundo não é amigo de ninguém.” Frase de Schopenhauer que cabe como uma luva a alguns seres populares demais que conheço

08/08/2008

viral do BB

Um bom viral é assim: a gente não sabe realmente quem patrocinou, fica aquela dúvida se é uma propaganda ou só uma brincadeira, mas a marca do cliente está ali. Esse, por exemplo, é do Ourocap. Ou não. O importante é que a sacada de mostrar Ricardo e Emanuel, campeões do vôlei de praia, fazendo um saque jornada nas estrelas cruzar a ponte Rio-Niterói foi sensacional. Pia! Pia!


07/08/2008

da série "sem tempo pra atualizar mas com muita vontade de"

Então fiquem com uma musiquinha.


02/08/2008

amy x duffy

Não me perguntem por quê. Mas essas duas canções não saem da minha cabeça. Nem do meu mp3. Com vocês: a drogada, barraqueira, alcoólatra e autodestrutiva Amy Winehouse. E sua versão meiga, madura e boazinha: Duffy.

Amy:



Duffy:



E aí, fica do lado legro da força ou parte pras tropas brancas?