19/12/2008

no torrent: true blood

Depois da superprodução Roma e seu desfile de tipos sem caráter (que, infelizmente, durou apenas duas deliciosas temporadas), o que fazer para chamar a atenção do público e continuar se diferenciando das outras emissoras que produzem séries? A HBO tiraentão da cartola True Blood, uma série de vampiros - do mesmo criador de Six Feet Under -  que é, no mínimo, polêmica.

A ação se desenvolve num mundo em que os vampiros saíram do caixão. É exatamente esta a expressão usada na série. Isso significa que os vampiros do mundo inteiro resolveram contar que realmente existem, após milênios agindo em segredo. A revelação foi motivada pela criação japonesa do tru blood, um sangue artificial que pode alimentar os vampiros sem que eles precisem sair mordendo pescoços por aí.

Mas existem dois grandes problemas: 1) nem todos os seres humanos reagem bem ao fato de terem que dividir suas existências com cadáveres que andam e falam; 2) nem todos os vampiros se adaptam à nova dieta de sangue artificial, preferindo continuar com o que sempre fizeram: matar seres humanos.

Entram em cena Sookie e Bill, o casal de protagonistas. Ela é uma garçonete de um bar do interior que estranhamente ouve pensamentos. Ele é um vampiro bonitão e misterioso que deseja apenas uma coisa: voltar a se integrar com os seres humanos. Com essa paixão como pano de fundo (e tome cenas escancaradas de sexo), os roteiristas desenvolvem tramas paralelas pra lá de interessantes. A principal da primeira temporada é uma série de assassinatos de mulheres da cidadezinha onde se passa a história, que tem como principal suspeito, claro, um vampiro. Nessa trama, o preconceito contra vampiros e a tensão que envolve sua relação com os seres humanos é mostrada com bastante criatividade.

Mas não é só isso. True Blood ainda guarda sacadas interessantes como o V Juice, nada mais nada menos que o sangue de vampiro que virou droga da moda. Quem toma tem alucinações lisérgicas e adquire grande vigor físico (tudo que a garotada do interior mais deseja). Logo nos primeiros episódios, porém, a gente acompanha chocado o que pode acontecer caso alguém tome uma overdose de V: Jason, irmão mais velho de Sookie, acaba tendo que se submeter a uma sucção peniana para aplacar uma ereção de mais de 48h…

Pelos blogs você encontra as mais diversas opiniões sobre a nova série da HBO, que tem previsão de estréia no Brasil só pra fevereiro do ano que vem. A maioria, entretanto, diz que a série é bizarra, porém divertida. Bem, eu não acho bizarro. No fim das contas, acredito que os roteiristas desenvolvem muito bem as tramas e conseguem a façanha de tornar um enredo tão absurdo em algo quase plausível. Quase.

Porque além de vampiros, garçonete que ouve pensamentos, sangue que deixa todo mundo doidão, ainda tem exorcista que mora no meio do mato, homem que corre nu pela floresta ao amanhecer, traficante que transa com vampiro só pra conseguir sangue pra vender, vampiros que transam como animais enfurecidos, a suspeita de que lobisomens e outros seres do tipo existem, além de muito, muito, muito sexo.

Apesar da HBO já ter garantido uma segunda temporada, True Blood não é do tipo de série que vira queridinha da audiência da noite pra dia, como Grey’s Anatomy ou 90210. Mas vale a pena ser assistida. Os personagens são bem construídos e cativantes, as tramas são inteligentes, os textos são bem escritos e na pior das hipóteses você vai aprender umas boas posições novas. Com direito a mordida no pescoço, claro.

17/12/2008

o melhor vídeo ruim do mundo

Vídeos de apresentação de empresas sempre ficam no limiar entre o ridículo e o genial. O fato é que nunca passam despercebidos. De tempos em tempos, entretanto, alguém vai longe demais. No caso, foi a agência de propaganda Job, de Ribeirão Preto/SP.

Numa junção de trilha terrível, imagens horrorosas e clichês por cima de clichês, a agência produziu um clássico da propaganda ruim. E por ter sido sem querer, fica ainda mais gostoso de ver. O pessoal da agência atua transmitindo uma certeza plena de que estão acreditando na idéia. E que idéia.

Destaque para a metáfora do ovo de pata, no final do vídeo. Desde já, uma das melhores piores metáforas do mundo. Dê play logo abaixo e delicie-se.


A dica foi do bróder Fábio Nunes.

15/12/2008

sapato nele

O jornalista iraquiano que atirou um sapato em Bush virou meu ídolo. Confira o vídeo:



Só um comentário a fazer: hahahahahahahahahahahahaha.

12/12/2008

liberte um livro


Excelente a iniciativa do blog EntreRios, do meu bróder Modrack Freire. Inspirado numa iniciativa americana chamada book crossing, Modrack convida a todos os leitores que libertem um livro neste Natal.

Como funciona? Faço minhas as palavras de Modrack: “É só você pegar um livro. Um que você goste — não pode ser qualquer porcaria — e largar ele em um lugar público. Vale shopping, dentro de ônibus, na faculdade, em qualquer canto. Dentro, você deixa um bilhete explicando o que é o movimento e como participar, ou seja, depois de terminar de ler, deve-se libertar o livro novamente. Ao libertar um livro, você liberta mentes.”

A idéia de Modrack inclui selo promocional (postado mais acima) e também uma ótima alternativa pra quem tem preguiça de escrever: um marca-página que pode ser impresso e deixado dentro do livro. Neles, um texto explica a idéia e poupa você de qualquer trabalho. Faça o download do marca-página e pode começar a libertar livros.

O mais legal é que quem pega o livro vai estar motivado a libertá-lo após a leitura, criando um ciclo de libertação de mentes. Eu já vou libertar o primeiro esse fim de semana e vai ser “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley. Espero que você tenha a sorte de encontrá-lo.

direito de resposta

Acabo de receber e-mail de Jean Noronha, diretor de criação da agência mossoroense Mais Comunicação, que foi assunto post do PLOG chamado Plágio ou referência? - em que repercuti acusações de plágio que a agência sofreu em um forum de discussões do Orkut.

Segue e-mail na íntegra:

"Caro patrício, gostaria de falar contigo a respeito das acusações de plágio referentes à agencia. Você poderia me dar seu contato (telefone)???"

Rapidamente, respondi o e-mail pasasando meus números de telefone e meu msn. Agora é aguardar para ver o que teremos de novo sobre o assunto.


11/12/2008

pete, o boneco de carne

A Diesel colocou no ar sua nova campanha há duas semanas. O garoto-propaganda da ação, focada no mercado europeu, nada mais é que Pete, o boneco de carne. Parece louco? Você ainda não viu nada.

O viral produzido e já devidamente postado no Youtube conta a história de Pete através de um vídeo de quase quatro minutos. Nele, descobrimos que Pete é criação de uma açougueira triste e sem filhos que, motivada pela carência, resolveu fazer um boneco de carne (!). Após esculpi-lo com os melhores pedaços de bife e bacon (!!), a açougueira resolveu amamentá-lo (!!!). Este gesto deu vida a Pete, “the meat puppet” (!!!!!!!!!!!!).

Não consegui o vídeo legendado, mas mesmo sem sacar inglês, dá pra entender a incrível biografia de Pete. O jingle, que mistura estilos diversos como folk e rock, é um capítulo à parte.



A campanha é criação da agência FarFar, da Suíça, e tem ainda um excelente site onde você pode ver o vídeo que postei em alta qualidade, além de conhecer a coleção nopva da Diesel.

01/12/2008

homenagem a obama

Fatos políticos com eco mundial geralmente dão excelentes anúncios. Foi assim quando o mundo se uniu para pressionar Goerge W. Bush (que o diabo o tenha em breve!) a assinar o protocolo de Kioto. Na ocasião, uma ONG criou um concurso no qual estudantes de publicidade criavam anúncios com o intuito de convencer o presidente dos EUA a fazer o pacto pelo meio ambiente.

Agora, com a vitória de Obama, começam a aparecer os anúncios de homenagem. Geralmente, os publicitários odeiam esse tipo de anúncio. Mas é inegável: podem gerar pérolas como essa abaixo, criada pela Ogilvy de Joanesburgo para uma TV da África do Sul.


Título: É um novo dia.

FICHA TÉCNICA
Agência: Ogilvy, Johannesburg, South Africa
Direção de criação: Jonathan Beggs
Direção de arte: Thule Ngcese, Carl Willoughby
Redação: Mbulelo Nhlapo
Atendimento: Kay Motuba-Warie